25 de junho de 2016

Cabelos de verão #1 Bob Ondulado

Cabelos de verão: Bob Ondulado

Qualquer que seja o evento este verão, desde os sunsets na praia aos festivais de música, os cabelos querem-se destruturados, rebeldes até.

Bob Ondulado


Como conseguir o look:


  1. Com o cabelo húmido, torça pequenas secções do cabelo. As madeixas torcidas vão dar uma textura ondulada com um aspeto mais natural;
  2. Deixe o cabelo secar ao natural.
  3. Desenrole as madeixas que secaram ao natural.

Alguns produtos que podem ajudar:



24 de junho de 2016

Cristiano Ronaldo, o micro da cmtv e nós



Não entendo todo este alarido com a atitude do Cristiano Ronaldo, quando atirou o microfone de CM TV para o lago, após um jornalista deste meio ter aproveitado um passeio com a seleção para fazer uma pergunta parva, num momento em que as perguntas não estavam autorizadas.

O Cristiano é um ídolo mas não é um santo. Não tem de ser. Eu também não sou. Eu, no seu lugar teria feito exatamente o mesmo, como forma de controlar o impulso de dar com o microfone na cara do jornalista.

Tenho fervido por dentro com este assunto. Finalmente encontro um texto que expressa tudo o que sinto. E melhor que tudo, escrito por uma jornalista. Não resisto a publicá-lo aqui. Com referencia à fonte e à autora, claro.

não me choca nada o que cristiano ronaldo fez. e porquê? explico.
primeiro, ele não agrediu ninguém. agarrou no símbolo daquela organização criminosa e mandou-o ao rio/lago whatever. o tipo da cmtv não fez nada de especialmente agressivo? é verdade. limitou-se a fazer uma pergunta anódina, por aí não haveria motivo para aquela reacção. e até pode ser óptima pessoa e -- porque os há decerto naquele antro -- jornalista, e bom. mas trabalha para aquela empresa energúmena. e o cristiano ronaldo, como qualquer outra pessoa sistematicamente atacada por aquela cloaca, não tem de saber quem é aquele indivíduo. só tem de conhecer o logo no micro.

há outras formas de lidar com os ataques do cm? deve-se recorrer aos tribunais? sim, sim, claro. mas boa sorte com isso. sendo certo que a organização em causa, e muita gente com ela, reputa o recurso aos tribunais de acto de censura, de mordaça, e de pressão -- um acto inadmissível de violência, em suma. e ai do juiz que dê razão a quem recorre aos tribunais, que o cm lhe fará a folha. pelo que, hoje em dia, haver juízes que dêem razão a alguém contra o cm é altamente improvável. e de caminho quem foi enxovalhado gastou dinheiro em advogado e custas e ainda tem de pagar as do cm (se não sabem, ficam a saber).

fazer isto a um 'jornalista' do cm é 'abrir 1 porta', e a seguir pode-se fazer a outros? news flash: muito pior que isto já sucedeu a jornalistas em portugal, nomeadamente na madeira, e nunca vi grande reacção. mas o essencial que há para dizer sobre essa perspectiva nem é isso; é que somos nós, os jornalistas, que temos a responsabilidade por alguém nos confundir com o cm. somos nós, os jornalistas, que com o nosso silêncio e a ausência de exigência de auto-regulação deixámos que isso sucedesse, pelo que se nos começarem a tratar a todos como se fizéssemos parte da mesma escumalha não nos podemos queixar. deixámos o cm ganhar a guerra; somos terreno conquistado por falta de comparência na batalha. culpa nossa, exclusivamente nossa.

tudo isto conduz a uma conclusão: na ausência de demarcação da classe jornalística, na ausência de reacção do estado de direito, o que resta a quem é perseguido, vilipendiado, invadido, difamado? a santidade? a fuga? o suicídio?

eu prefiro a luta. o cristiano ronaldo também. e, atendendo às circunstâncias, acho que o que ele fez não só é plenamente justificado como teve imensa classe. foi um acto de um simbolismo que não tenho pejo em considerar belíssimo. o logo do cm foi para o seu habitat natural: o lodo.
foi assim que a cidade nos deixou, neste caso: sós contra o mal. cada um por si.

Por: Fernanda Câncio em Jugular

26 de maio de 2016

Festival Banda Desenhada Beja




Começa já a 27 de maio e até 12 de junho o XII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

São mais de 50 autores de banda desenhada, um pouco de todo o mundo, representados neste festival. De Eduardo Risso (um dos autores de Batman) a Edmond Baudoin (Mestre da BD Mundial), passando por Tiago Baptista, Maria João Worm ou Diniz Conefrey.

Um total de 22  exposições de BD distribuídas pelo Centro Histórico da cidade, em 14 núcleos, sendo o principal, o Pax Julia, que recebe diversos autores de BD, no primeiro fim-de-semana.

Nesta edição passarão por Beja nomes bastantes conhecidos da Banda Desenhada, assim como, autores em início de carreira que proporciona, 15 dias de programação paralela, com cinema, mercado do livro e concertos desenhados.

Uma grande Festa de dia 27 de maio, a partir das 21h00, no Pax Julia – Teatro Municipal, e que se estenderá noite dentro com os Concertos Desenhados, no Largo do Museu, até às 3h00!

19 de maio de 2016

Apresento-vos o Fly


Amigos, quero apresentar-vos o Fly.
Um pequeno pardal que vai passar uns dias cá em casa, até ser forte o suficiente para viver livre na natureza.

16 de maio de 2016

Parfois: Tendência Tribal


A Parfois está com uma coleção de primavera verão lindíssima.

A tendência tribal está em força. Os tons castanho-neutros-com-um-toque-de-laranja-que-eu-adoro estão de volta!

É só misturar e combinar, numa interminável sequência de combinações possíveis e todas de cair para o lado de tão giras que ficam!

Eu gosto do chapéu, gosto do lenço, gosto do colar, gosto do porta moedas, gosto do anel, gosto da carteira, gosto dos mocassins... Gosto de tudo, entendem?

Tudo fica bem com tudo, sem ser aquele mesmo padrão repetido vezes sem conta. Tudo diferente mas tudo a condizer na perfeição.

O verdadeiro chic, não concordam?



Clicar nas imagens para consultar os detalhes dos artigos.

12 de maio de 2016

Dia do Enfermeiro


Saúdo todos os enfermeiros que dedicam a sua vida profissional a ajudar recém nascidos, crianças, adultos e idosos a ter os cuidados de saúde e carinho que precisam.

Muito obrigada a todos os profissionais que desempenham as suas funções com as suas mãos, mas também com o seu Coração. Um enorme agradecimento a todos os que fazem da sua profissão um ato de AMOR!


P.S. Obrigada à equipa de enfermagem do Hospital da Cruz Vermelha por terem tratado tão bem dos meus filhos quando nasceram, obrigada aos enfermeiros do Hospital de Santa Maria pela forma como trataram a minha mãe nos cuidados intensivos, obrigada a todos os enfermeiros do Hospital de S. Francisco Xavier pela forma como nos recebem nas urgências, perguntando sempre como estão os meus outros filhos, como se de amigos de longa data se tratassem.

11 de maio de 2016

Síndrome do 3º Período



O 3º período escolar é aquela altura do ano em que os miúdos estão cansados da escola, distraídos, desatentos e a suspirar por férias.

Eles estão assim, tal como eu estava na idade deles. Ainda me lembro de como suspirava, a olhar pela janela da sala de aula e a sonhar com as férias grandes.

Por aqui, o mais novo anda com preguiça para fazer a totalidade dos trabalhos de casa. Já foi chamado à atenção pela professora, que falou connosco para reforçarmos a atenção.

O do meio, diz que não quer ir à aula de formação musical (que sempre adorou), que não gosta deste professor de coro (descobriu agora!). Que a escola é uma seca, que já sabe tudo de matemática e estudo do meio e que estão sempre a estudar a mesma matéria (isto é verdade mas terá de habituar-se).

Paciência para mim, para nós, para a conseguirmos passar também para eles.

É o que eu chamo o Síndrome do Terceiro Período. Um onda de tédio e falta de vontade invade os estudantes no final do ano letivo. O problema é que isto coincide com a época de testes finais, provas de aferição ou exames conforme o caso!

São só os meus, ou este mal é geral? Contem-me como os vossos filhos reagem ao cansaço de final de ano letivo.

10 de maio de 2016

Tire os sapatos e ajude 100,000 a ter os seus


É a nova campanha de solidariedade social na internet.

Basta que hoje, 10 de maio de 2016, publique uma foto sua sem sapatos com a hashtag #withoutshoes  para que um par de sapatos seja doado a uma criança de uma comunidade carenciada.

Esta iniciativa é da responsabilidade da Toms que já doa um par de sapatos por cada par  de sapatos vendido, um par de óculos e consultas oftalmológicas por cada par de óculos vendido, e apoia ações de formação anti bullying por cada mochila vendida.

Como ajudar?


Hoje, publique uma foto sua no Instagram sem sapatos com a hashtag #withoutshoes para ajudar a doar um par de sapatos.

Durante todo o ano, compre na Toms e por cada artigo comprado outro é doado a uma comunidade carenciada.

Estaremos assim a criar uma (nova) economia social.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...