23 de março de 2017

Experimentei e gostei: Eucerin Volume Filler Concentrado


Quem não gosta de receber amostras? Eu adoro. As amostras são sempre uma oportunidade de experimentar novos produtos e descobrir que alguns deles funcionam maravilhosamente connosco.

Foi o caso destas amostras de Eucerin Volume Filler Concentrado que me foram oferecidas na farmácia.





O que diz a marca:

A concentração única de ingredientes activos que, quando usado diariamente em associação com os produtos de cuidado de volume e firmeza, ajuda a restabelecer o volume perdido e a definir os contornos do rosto para um aspecto mais jovem.

Os ingredientes:

Magnolol 

O Magnolol é um ingrediente activo extraído da casca da árvore de Magnólia. Provoca a excreção de uma substância bioactiva que aumenta a síntese de colagéneo e estimula o volume às células da pele, através do "preenchimento" as áreas de volume reduzido.

Oligopéptidos

Os Oligopéptidos fortalecem o tecido conjuntivo da derme, devido a uma síntese de colagéneo melhorada para que a rede dérmica se torne mais forte e mais estável. Os Oligopéptidos são extraídos de frutas e sementes da planta de Anis, originalmente cultivada pelas suas propriedades benéficas para a pele.

Ácido Hialurónico

O Ácido Hialurónico é uma substância criada dentro do corpo, que forma parte do tecido conjuntivo da pele. Uma das funções mais importantes é a retenção de água e a capacidade de ligar-se a 30 vezes o seu próprio peso molecular em água. À medida que envelhecemos, a capacidade natural da pele em produzir Ácido Hialurónico esgota-se e as rugas começam a formar-se e a aprofundar-se.


Como funciona:

Os três ingredientes activos combinam-se para actuar e tratar os sinais de perda de volume e definição do contorno em camadas específicas da pele.  O Magnolol aumenta o tamanho e o número das células de volume. Depois, os Oligopéptidos derivados do fruto de Anis fortalecem a rede de colagéneo e aumentam a sua renovação. Por fim, o Ácido Hialurónico aumenta os níveis de retenção de hidratação para uma pele mais volumosa e com menos rugas.




A minha opinião:


Deixa a pele imediatamente mais lisa e uniforme. Tem uma excelente absorção e não fica pegajoso.
Pode usar-se sozinho ou por baixo do creme hidratante. Eu usei sozinho de manhã e antes do creme de noite ao deitar. Gostei da sensação de pele mais lisa e preenchida.



9 de março de 2017

Conversas lá de casa #22


A caminho da escola ouvimos uma referência ao novo filme As Cinquenta Sombras mais Negras.
- Mamã, As Cinquenta sombras de Grey não ganhou o Óscar do pior filme do ano?
- Quando lançaram o primeiro filme desta trilogia o filme recebeu o prémio Razzie como o pior filme do ano. O filme é baseado num conjunto de três livros e cada um dos livros está a ser adaptado ao cinema. Tu sabes qual é o tema do livro?
- Não.
- O livro é sobre sexo e chicotadas.
- Ah!?
- É um tema esquisito. São pessoas que em vez de gostarem de dar beijinhos gostam de dar chibatadas. Lembras-te da Mixórdia de Temáticas que o Ricardo Araújo Pereira fez quando saiu o primeiro filme? Era sobre pessoas que gostavam de chibatadas e depois tinham de por Halibut. Não é tema para alunos do 7º ano... Nem para mais velhos...  nem todos os adultos gostam do tema.
- Um colega meu propôs apresentar esse livro na aula de português, mas a professora não deixou!
- Esse livro não é para a vossa idade!
- E ele ainda disse: - Mas é um romance stora!
- Isso foi mesmo provocação à professora.

Achei melhor explicar, à minha filha de 13 anos, de forma simples e reduzida aquilo que eles ouvem todos os dias na rádio, televisão e em conversas de colegas.

Mais alguém já foi confrontado com perguntas dos filhos sobre as 50 sombras?


8 de março de 2017

Para que serves tu?



Será que antes de casar ou decidir morar com um companheiro as mulheres avaliam realmente o contributo que este companheiro dará na sua vida, ou se irá apenas ser uma parasita doméstico?

Para refletir todos os dias mas especialmente hoje, o Dia da Mulher.


NÃO COZINHAS, NÃO LIMPAS O PÓ, NÃO SABES USAR UM BERBEQUIM. PARA QUE SERVES TU?

¬ E uma camisa, és capaz de passar?
¬ Acho que sim. Não há de ser muito difícil.
¬ Por acaso é. É das coisas mais difíceis de passar a fer­ro, uma camisa. Mas pronto, achas que és capaz?
¬ Se é das coisas mais difíceis, por que é que me pedes para passar precisamente a camisa?
¬ Eu não te estou a pedir. Estou a perguntar se és ca­paz. Calculo que não, mas pergunto à mesma.
¬ Isto parece conversa de malucos.
¬ Eu é que estou a dar em maluca ao ver a quantidade de coisas que tu não sabes fazer. Comecei pelas simples. Já vi que não sabes. Pode ser que sejas bom nas complicadas.
¬ Já te disse que não sei passar a ferro.
¬ Não. Tu disseste que não sabes passar T-shirts nem calças. E quando te perguntei se nunca tinhas aprendi­do, ficaste ofendido. Ora, as calças de ganga devem ser a coisa mais simples de passar a ferro. Mas fácil do que is­so, só se for um lençol. Mas tu, nem isso.
¬ Lembra-me por que é que estamos a ter esta conversa.
¬ Porque namoramos há quatro meses, tu tens mais de 40 anos, já foste casado e eu nunca te vi a mexer uma palha em casa. E agora achei que era boa ideia esclare­cer o assunto.
¬ Porquê agora?
¬ Porque ontem voltaste a falar em vivermos juntos.
¬ O que é que uma coisa tem a ver com a outra?
¬ Deves estar a brincar. Gosto muito de ti, mas achas que vou meter em minha casa uma pessoa que não sabe cozinhar? Que não passa a ferro, não limpa o pó…
¬ Mas tu queres um namorado ou uma empregada?
¬ Eu quero uma pessoa com quem possa partilhar tare­fas. Também quero partilhar a vida, a cama, as refeições, rebeubéu, pardais ao ninho. Isso é tudo muito bonito. Mas tem de ser alguém que se mexa.
¬ Já sabias que não sou muito prendado nas lides da casa.
¬ Eu já sabia que és um menino e que nunca fizeste na­da em casa porque a tua mãe, as tuas irmãs e a vossa em­pregada faziam tudo. Tu e o teu pai eram uns lordes. Mas não sabia que tu nem sequer sabes estrelar um ovo. Pen­sei que não gostasses muito. Mas na verdade não sabes.
¬ Nunca precisei. E vais ficar chateada comigo por causa disso?
¬ Chateada? Eu?! Não. Vou é pensar trinta vezes antes de me meter na aventura de viver contigo. Tu é que es­tás habituado a criadas, não sou eu.
¬ Não sei passar camisas, mas sei fazer outras coisas.
¬ Ah sim? Então quais, ó senhor homem? Estás a fa­lar de bricolage? O que é que tu sabes fazer? Sabes mu­dar uma torneira?
¬ Não, isso não. Para isso chamo um canalizador.
¬ E usar um berbequim? E fazer uma puxada de luz e montar uma tomada? E tapar uns buracos na parede para a pintar? Sabes? Se me vais dizer que és um artista a mudar lâmpadas, eu vou-me rir. Porque isso faço eu. Isso e as outras coisas todas. E também escusas de dizer que sabes aparar a relva porque eu não tenho quintal.
¬ Sei tratar do carro. Sabes fazer isso?
¬ Tratar de um carro? Correias de distribuição, folgas nos foles, ignição, discos de travão…? Isso não conta para o currículo de casa. Para isso vou a um mecânico.
¬ Estás mesmo a ponderar o nosso futuro em função do que eu faço em casa?
¬ Estou. E se outras mulheres fizessem o que eu estou a fazer, poupavam muitos dissabores. Para tua informação, sintonizar os canais da televisão e garantir que es­tá tudo bem com o wi-fi não é grande ajuda hoje em dia.
¬ Se calhar devias queixar-te à minha mãe.
¬ Eu? Tu é que devias. E agradecer-lhe pela educação que não te deu. Ao menos sabes ir às compras? Escolher fruta. Comparar preços? Ver a melhor carne?
¬ Não.
¬ Então, além do sexo e de perceberes de música e de cinema, tu serves para quê, ao certo…?


Por Paulo Farinha em Notícias Magazine

26 de fevereiro de 2017

Para hoje #1 Mais sorrisos


Objetivo para o dia de hoje: Mais sorrisos!

Implica dar e receber.
Quantos mais sorrisos distribuirmos, mais sorrisos encontraremos à nossa volta.

Vale a pena tentar. Quem alinha?

17 de fevereiro de 2017

Conversas lá de casa #21

- Mamã, o A. ofereceu uma flor à M. mas estavam lá 7 aranhas, tipo tarântulas bebé, e ela desatou aos gritos e a fugir!
- O A. deve ter apanhado a flor num jardim e essas têm insetos.
- Apanhou-a lá na escola!

Parece-me que este presente de São Valentim não conseguiu o objectivo pretendido.


31 de janeiro de 2017

E se Hitler vivesse no século XXI?

Adolf Hitler

Se Hitler vivesse no Século XXI:

- Fecharia as fronteiras
- Expulsava todos os que considerava pertencerem a "raça" inferior
- Rasgaria a Declaração Universal dos Direitos do Homem
- Aprovaria a tortura a prisioneiros
- Demitiria altos funcionários do Estado que estivessem contra as suas políticas
- Retirava direitos a minorias
- Construiria muros a separar povos
- Perseguiria os que considerava de raça inferior
- Perseguiria os que seguiam outra religião
- Retiraria direitos arduamente conquistados pelas mulheres
- Tornaria o mundo um lugar menos seguro

E nós? O que faríamos se Hitler vivesse no Século XXI?

23 de janeiro de 2017

Livro A Lua-de-Mel de Sophie Kinsella

Chega esta semana às livrarias o novo livro de Sophie Kinsella, a Lua-de-.Mel

Sinopse:

Jovens, com a sua pressa, as suas preocupações e a vontade de desejar todas as respostas.

Lottie tinha a certeza de que Richard, o seu namorado de longa data, ia pedi-la em casamento. Mas estava enganada. Farta de esperar, decide terminar a relação. O inesperado acontece quando Lottie, ainda a recuperar da desilusão, recebe um telefonema. Do outro lado da linha está Ben, um ex-namorado com quem fizera um pacto insólito no passado. Se, aos 30 anos (ou aos 33…), nenhum deles estivesse casado, casar-se-iam um com o outro. Para Lottie a mensagem é clara: o Destino está a uni-los!

Já Fliss, a irmã de Lottie, não tem tanta certeza disso. Ela sabe que, por detrás deste aparente ato arrebatado de paixão, Lottie tem o coração partido. Mas casar com alguém que não vê há 15 anos ultrapassa todos os limites. O problema é que o mal já está feito… A solução? Seguir o casal até à ilha grega de Ikonos e fazer os possíveis (e os impossíveis) para impedir a consumação da união.

Fliss rapidamente percebe que contrariar o Destino não é tarefa para os fracos de espírito, algo que ela acredita não ser. Mas à medida que o seu plano avança, uma dúvida paira no ar: estará ela preparada para pagar o preço pela intromissão?

A autora:


Sophie Kinsella começou a escrever aos 24 anos mas foi com a série Louca Por Compras que a sua carreira se firmou internacionalmente. Tem romances publicados em quarenta países, com um total de vinte e cinco milhões de exemplares vendidos. As razões do seu êxito são variadas: escreve com ritmo e graça sobre assuntos que tocam leitores em todo o mundo, nunca é previsível e diverte-nos sempre. Além disso, as suas histórias são românticas, com protagonistas tão reais que cremos inteiramente neles, apesar dos seus momentos mais disparatados. Sophie Kinsella é assim. Vive em Londres com o marido e a família.

Disponível nas livrarias e aqui.

1 de janeiro de 2017

Feliz Ano Novo

Feliz Ano Novo

Desejo a todos um excelente 2017.

Que seja bem melhor que 2016, um ano particularmente difícil que me deixa feliz ver pelas costas.

Este virar de página dá-me a esperança de escrever uma nova história em 2017.

Bom ano a todos!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...