29 de junho de 2014

Fazer as malas

A partida de férias tem dois sabores: o sabor doce da antecipação dos dias à nossa frente e o amorgo da tarefa Herculííia de fazer as malas de cinco pessoas.

Separar roupa de verão de cinco pessoas, ver o que ainda serve aos miúdos.
Separar produtso de higiene para cinco para 15 dias, livros, brinquedos, medicamentos, não vá haver azares de férias.

Fazemos listas para facilitar, mesmo assim não é fácil, nem agradável.

Mas em breve estamos lá. A respirar ar puro, a sentir o sol e sabor a sal.

Ai férias, aqui vamos nós!

28 de junho de 2014

100 anos Primeira Guerra Mundial

Assassinato de Sarajevo
Assinala-se hoje o centenário do incidente que deu origem à Primeira Guerra Mundial, o assassinato do Príncipe Herdeiro do trono Austro-Húngaro Francisco Fernando Carlos Luís José Maria de Áustria-Este, em Sarajevo.

Este acontecimento levou a Áustria-Hungria a declarar guerra à Sérvia a 28 de julho de 1914.

Portugal participou neste conflito, enviou tropas, chegando a estar mobilizados 200 mil homens e as perdas situaram-se nos 10 mil mortos e milhares de feridos.

Não foram tempos felizes para Portugal e para a Europa. Convém lembrar o passado e não o deixar repetir-se no futuro.


27 de junho de 2014

Eu Adoro a Sexta Feira

I Love Fridays!

É o dia em que estamos quase lá
É o dia em que o fim de semana se prevê longo e feliz!
É o dia que passa mais depressa
É o dia em que que a energia não esgota
É o dia em que o sorriso não sai dos lábios
É o dia dos olhos mais brilhantes!

Feliz Sexta Feira para vocês!

26 de junho de 2014

Fim de tarde Náutico


Nos últimos dias tenho andado a mil. Não tenho tempo para nada. Mas é bom sair das rotinas. Receber novos estímulos e acabar o dia de forma diferente.

Decidi aceitar o convite da Vasenol para o lançamento do novo Vasenol Spray & Go. Aquele que seca em segundos e nos permite vestir de imediato.

Foi um fim de tarde muito giro a bordo do veleiro Leão Holandês. Tivemos a oportunidade de experimentar as três variedades: manteiga de cacao, aveia e aloé vera.

Fomos recebidos com boa música, um cocktail e bebidas temáticas. Foi muito giro acabar o dia de forma tão diferente. Apesar do sol espreitar timidamente por trás das nuvens, tornou-se um fim de tarde bem original!








Alda Gomes

Sylvie Dias





25 de junho de 2014

Conduzindo por Lisboa

Isto do casa-trabalho-casa tem destas coisas. Já quase não conheço os caminhos em Lisboa. Entramos nas rotinas e muito dificilmente as deixamos. Finalmente consegui perceber como entrar na faixa de fora da rotunda do Marquês de Pombal. Iupi! Na verdade já tinha desistido de tentar.
Hoje ao final do dia dei por mim a reparar em prédios que nunca tinha visto, em grafittis em que nunca tinha reparado. Lisboa está diferente sim. E sem chuva consegue ver-se melhor.

Mas temos de contrariar, procurar novos estímulos, aceitar alguns convites. Foi o que fiz hoje. E amanhã conto-vos tudo.

24 de junho de 2014

Sunlaude Comfort Ultra 100+

Cumlaude lab: Sunlaude Comfort ultra 100+
Nas viagens gosto de descobrir produtos novos, desconhecidos para mim até então. Nas férias em Andorra, fiz umas compritas. Os preços são sempre atrativos e encontro imensas novidades.

Como sabem gosto de proteger muito bem a pele do sol. Uso todo o ano no rosto protetor facial 50+, a conselho de um dermatologista há já muitos anos.

Agora, descobri que existe um protetor 100+. Usei na neve e apesar do sol intenso, não fiquei nem um pouco vermelha.

Tenho voltado a usar nos dias de praia ou piscina.

O resultado? Nem sinal de vermelhidão ou ardor na cara.
Tem uma textura super fluída. É muito fácil de espalhar, não cola e fica completamente invisível no rosto.

Marca: Cumlaude lab
Linha: Sunlaude Comfort Ultra
Factor de proteção: 100+
Tamanho: 50 ml



23 de junho de 2014

Somos pobres mamã?

O meu filho do meio perguntou-me.
- Porque perguntas isso?
- Porque não temos dinheiro.
- Sabes, com a crise todas as pessoas têm pouco dinheiro. Não quer dizer que sejam pobres. Temos o que precisamos. Comida. Uma casa grande.
Esta forte noção de realidade tão presente numa criança de sete anos por vezes preocupa-me. Gostava que fosse mais inocente. Tem tempo para ser responsável. Tento amenizar.
- Lembras-te dos teus amigos na tua festa de anos dizerem que tinhas uma casa grande? As casas deles são mais pequenas. A nossa casa é maior que a maioria das casas dos teus colegas da escola.
- Pois foi mamã. A nossa casa é maior?
Temos uma casa que foi cara. Não é nossa pois devemos o seu valor ao banco. Passámos a pagar com muita dificuldade quando o desemprego duplo nos bateu à porta, quase ao mesmo tempo. Foi quando nasceu o mais novo.
É esta casa que não é nossa, mas que não podemos vender. A casa que o ministério público não deixa vender, pois acha que a sua construção foi licenciada pela Câmara em terrenos com outros fins. Enfim, problemas da Câmara e do construtor que agora nos batem à porta. A casa que comprámos legalmente. Com registos provisórios e definitivos. Da qual pagámos IMT, pagamos IMI. Mas que não é nossa, nem a podemos vender.
Mas está em nosso nome.
Por causa do seu valor, nas alturas mais complicadas, nunca recebemos nem 1€ de abono de família, nem de apoios sociais. Na escola pública, pagamos as senhas de refeição com o preço normal. Nunca tivemos qualquer apoio por termos esta casa em nosso nome.
Se pudesse regressar ao passado o que não voltaria a fazer era comprar uma casa. Alugava e se deixasse de poder pagar, mudava para uma mais pequena. Teria outra flexibilidade que agora não tenho.


Destino adiado


E assim adiámos mais uns dias o nosso destino.
Os Estados Unidos não se qualificam hoje, Portugal não perdeu ainda a hipótese, cada vez mais remota, de se qualificar.

Matematicamente é possível. Mas difícil. Muito difícil.

Equilibrados


E estamos empatados...
Nervos!

22 de junho de 2014

Para ganhar

Ponte 25 de Abril e Golden Gate Bridge
Só temos de correr para o outro lado do campo.
Se passarmos a ponte, entramos em Lisboa e saímos em São Francisco.

Urban Market Oeiras Marina


O Urban Market, uma das feiras mais cool da zona de Lisboa saiu fora de portas.
Este fim de semana apresenta uma seleção do melhor artesanato, design e gourmet na Oeiras Marina.
Sob o tema náutico, o Urban Market estende-se pela marina de Oeiras.
Delícias como compotas, chutneys, patés, frutos secos, especiarias e chás; artigos de verão como cestas de praia, sacos-toalha-capulana, fatos de banho para meninos e meninas, sandálias romanas, bijutarias variadas, tudo no Urban Market Oeiras Marina.

Pelas 17 horas pode experimentar ou apenas assistir a um workshop de capoeira com o grupo Candeias.

Das 18h às 20h haverá sunset com o DJ Kamp.
Haverá melhor forma de terminar o primeiro fim de semana de verão?

Capoeira, Grupo Candeias

DJ Kamp
Ora tome nota:

Local: Oeiras Marina
Datas: 21 e 22 de Junho
Horário: Das 10h às 20h
Entrada Livre

Próximos Urban Market:

  • Miraflores - Domingo 6 de Julho
  • Linda-a-Velha - Sábado 12 de Julho


20 de junho de 2014

17 de junho de 2014

Estado de Espírito em Portugal


Ontem os portugueses estavam eufóricos, hoje estão neste estado.
O jogo contra a Alemanha arrasou com a moral da equipa e dos Portugueses.

Há que levantar a cabeça e continuar o caminho.
É óbvio que se a seleção tivesse ganho eu teria ficado satisfeita.
Mas não ganhou.
Vou ficar triste por algo que não é da minha responsabilidade, não está ao meu alcance?
Não vou. Não!

Eu vou cuidar da minha Vida e os jogadores e treinador que cuidem da sua, que são pagos para isso.


16 de junho de 2014

Creme Dia Diadermine Nº110 por 0,95€


Revista Máxima, oferta Diadermine Nº110
A Revista Máxima, edição de Julho, trás uma oferta irresistível. O creme de Dia anti idade Diadermine Nº110 por apenas mais 0,95€. 

São 0,95€ por um creme que custa 12,99€. Vale bem a pena! Se acrescentar-mos o preço da revista ainda fica por 3,95€ mas com imensa leitura para as férias e fins de semana nas esplanadas.

A revista Máxima tem temas muito interessantes e garante horas de leitura muito agradável.

O creme de dia Diadermine Nº110 vem com o tamanho normal de 50 ml.
Não precisam de mais argumentos, pois não?


Afinal não sou a pior mãe do mundo

As notas dos exames do 4º ano trouxeram-me um turbilhão de emoções.
Primeiro, claro está, a ENORME felicidade de ver a minha filha a ser bem sucedida nos estudos.
A segunda, a admiração, pois não estávamos à espera. Nem nós, nem ela.
Durante o ano não teve más notas. Começou o ano com um suficiente que utilizámos para explicar que se não trabalhasse o suficiente poderia chumbar. Trabalhou muito. Graças à professora que puxou imenso pelos miúdos. Por todos. Fracos e fortes. Pô-los a trabalhar imenso. Ensinou, exigiu e voltou a exigir. Em casa correspondemos. Pusemo-la a trabalhar muito. Ajudámos nos estudos. Explicámos e exigimos.
No 3º período o trabalho foi tanto que lhe dissemos estar muito orgulhosos do que tinha feito, independentemente dos resultados. O que quer que fossem os resultados iríamos admirá-la pela qualidade do trabalho feito.
Fez os exames e achou-os fáceis. Eu fiquei preocupada, como expliquei aqui.
Muitas vezes a facilidade esconde rasteiras. Fiquei receosa.

Quando vi as notas dos exames na pauta não queria acreditar! 5 a Matemática e 5 a Português! A segunda melhor aluna da turma. Uma colega também teve 5 - 5 com maior percentagem.
Isto foi uma subida alucinante, graças ao trabalho e força de vontade. Se tivesse sido fácil a minha alegria não seria tanta. Mas foi com esforço, muito esforço!

Isto faz-me reviver o dia em que me senti a pior mãe do mundo. Foi há quase 2 anos. A minha vida deu a maior volta possível e tive de arrancar os meus 3 filhos do colégio onde estavam desde os 3 anos. Quem mais sofreu foi a mais velha. Ter de deixar os amigos de longa data. De repente, sem preparação.

Tirá-los abruptamente do colégio fez-me sentir falhada. Sentia que não estava a dar aos meus filhos aquilo que mereciam, o melhor.

Foram para a escola pública. Eu sabia que a escola pública tem excelentes professores, profissionais dedicados. Tudo uma questão de sorte. O que mais me custou foi retirar-lhes os amigos mais chegados.
Mas eles foram fortes. Adaptaram-se muito bem. Fizeram novos amigos. Mantiveram alguns do colégio.

A mais velha mostrou alguma rebeldia não querendo estudar. Passámos uma fase complicada com ela. Recusava-se a estudar. Ficava sentada à secretária sem fazer nada.

Com muita conversa, explicações e por fim chantagem: se não estudasse não ia às festas de aniversário dos amigos do colégio, para as quais ainda era convidada. Lá conseguimos que cedesse.

Saiu do colégio muito mal preparada. Nós queixávamo-nos à  professora que ela não sabia fazer contas, que não entendia os textos e sempre recebíamos uma desculpa esfarrapada "não se preocupem, não é do programa!". Nós acompanhamos nos trabalhos de casa e bem víamos: não sabia nada.

Por vezes há males que vem por bem. Este foi um deles. Eu nunca os teria tirado do colégio se não tivesse sido obrigada. Acreditamos que o ensino é melhor, o que nem sempre é verdade, e temos horários mais flexíveis para os pôr e ir buscar à escola. Sabemos onde estão todo o dia e não temos de fazer malabarismos para os deixar na escola na estreita faixa horária em que o portão abre, nem temos de correr para os ir buscar a horas demasiado cedo para serem compatíveis com trabalhos por conta de outrem.

A nova professora é super competente. Muito experiente. Na casa dos 50, já lhe passaram muitos alunos pelas mãos. Não deixa cair nenhum. Não se dedica apenas aos bons para ignorar os mais fracos. Puxa por todos. Fui falar com ela. Ao fim de duas semanas na nova escola a professora explicou-me como estava mal preparada a matemática e a português. Deu-me um plano de estudo. Explicou-nos o que deveríamos fazer com ela ao fim de semana para que recuperasse. Muito honesta e metódica. Sem falinhas mansas. Ela tem dificuldades nisto, nisto e nisto. Têm de fazer isto, isto e isto.

Assim fizemos. Depois da rebeldia inicial, aplicou-se. Fez amigas do peito. Andou feliz na nova escola durante dois anos. Culminou o 1º ciclo com notas máximas nos Exames Nacionais! Fiquei cheia de orgulho nela, no seu trabalho. E isso também apaziguou a minha culpa de a ter tirado da sua escola de sempre.
Afinal não sou a pior mãe do mundo!

15 de junho de 2014

Lisboa é Linda!

Belém
O bom tempo convida a um passeio.
Lisboa nunca desilude.
A luz! Ah! Esta luz! O azul do céu, o branco do casario, dos monumentos e da calçada portuguesa.
Lisboa tem uma luz única e convida a um passeio.
Os lugares repetem-se, revisitam-se. O prazer renova-se.
E a cada dia fico com mais certeza que este é um dos melhores lugares do mundo para se viver!

Jerónimos

Jerónimos

Padrão dos Descobrimentos

Mural em mármore mostrando o mundo

14 de junho de 2014

Um dia em cheio!


Praia
É o que chamo um dia em cheio!
Preparei um piquenique e partimos de manhã para a praia. Refugiámo-nos deste calor dentro de água.
Foi um entra e sai (meu) que nem vos digo. eles nem saiam. Apenas para comer e beber.
E tanta melancia! Fresca, cortada e pronta a amenizar a sede desta malta.

Sardinha Santo António
Agora as sardinhas esperam-nos. Não há Junho sem santos populares, nem santos sem sardinhas.
Ah! E ainda me vou fazer a uma manjerico!

13 de junho de 2014

Relaxar: Um dia na Praia


35ºC à sombra.
Feriado municipal em Lisboa.
Significa que hoje não trabalhei mas os miúdos tiveram aulas.
Guardei a manhã para mim, depois de os levar à escola.
Agora o luxo máximo é ter um par de horas só para mim.
Uma ida à praia sozinha. Um calor imenso e um mar refrescante.
Um bom livro, pele sempre bem protegida com os meus protetores solares 50+ e o luxo máximo que descobri na última viagem a Andorra, protetor para o rosto com índice de proteção 100+.
Refresquei-me neste mar maravilhoso várias vezes.
À volta, corpos alvos de um inverno rigoroso. Não se sinto assim tão mal com a minha falta de cor.
Tenho a paciência de proteger a pele e ganhar um bronzeado gradual mas duradouro. Em breve estarei dourada. Nunca consigo ficar muito escura mas gosto do tom dourado que ganho aos fim de uns dias de sol.
Também tenho uns truques para manter o bronzeado por mais tempo. Disso falarei outro dia.
Hoje, aproveitei a praia sozinha. Nada me poderia ter dado mais paz e tranquilidade.

Maré vazia.

Resultados Exames 4º Ano!

Estou que nem posso!
A minha filha mais velha recebeu hoje as notas dos Exames Finais do 4º ano de Português e Matemática e teve 5 a cada uma das disciplinas!
Este é o resultado de muito trabalho pois começou o ano com um suficiente.
Por agora tenho um sorriso de orelha a orelha e vou ficar a digerir esta felicidade!

12 de junho de 2014

Quando o calor aperta...


e a sede desperta, sonho com uma melancia suculenta!
O seu sabor doce, fresco, a sua textura estaladiça fazem as delícias do meu verão.
Gosto tanto destes serões a trincar pedaços de melancia...

Pulseiras: Teoria da Conspiração #2


Lembram-se do desaparecimento da caixa dos elásticos, para fazer as famosas pulseiras?
Pois a Teoria da Conspiração tem continuidade, como qualquer boa teoria da conspiração!
Não é que a miúda trouxe da escola a caixa completa?
Apareceu nos perdidos e achados e uma auxiliar que já a tinha visto à procura, foi entregar-lhe.
Até aqui tudo bem.
Chega a casa.
- Estás a ver como tinhas deixado a caixa na escola?
- Não, eu levei para o carro do papá! Alguém roubou do carro do papá e foi por na escola!

Pois claro! Alguém entra no carro, sem arrombar a porta, rouba a caixa, fecha o carro para não deixar rasto e ainda vai à escola deixar a caixa!
Estamos perante um mestre de ilusionismo maior que Luís de Matos ou até mesmo David Copperfield!
Tenham cuidado com ele!

11 de junho de 2014

Edgerton Original Pink Gin

Edgerton Pink Gin
Mas afinal o que tem este gin de tão especial?
Porque tem conquistado o paladar do público feminino?

Eu nem sou muito apreciadora de gin. Já o homem da casa sempre adorou gin, muito antes deste entrar na moda.
Quando todos pediam whiskys velhos, ele pedia gin. Eu ia provando mas não ficava convencida. Não sou muito fã de travos amargos. Esquisitinha, eu sei!
Mas quando me convidaram para o lançamento do Edgerton Original Pink Gin e o provei pela primeira vez, rendi-me!
Tem um sabor suave, fresco, servido com bagas de romã levou-me numa viagem de sentidos, para uma ilha deserta, com a suave brisa marítima a envolver-me.

Tem um sabor leve, requintado e feminino.

Mas afinal o que tem este gin de tão especial?

14 Extratos botânicos

É feito a partir de uma receita única contendo 14 extratos botânicos.

Alguns delas, como a Damiana (a erva da lua de mel do México), são pouco comuns, até mesmo excêntricos, num gin, mas dão-lhe uma profundidade e uma harmonia rara. Outros, como grãos exóticos do Paraíso da África Ocidental transmitem calor e textura.

Um gin premium, raro e distinto, maravilhosamente apresentado em rosa. Isso fará com que a sua tónica fique rubra e adicione um toque de glamour ao seu cocktail favorito.
  • Bagas de zimbro
  • Pó de Orris
  • Grãos do Paraíso
  • Casca de Laranja doce
  • Segurelha
  • Damiana
  • Casia Bark
  • Noz-moscada
  • Coentros
  • Raiz de alcaçuz
  • Amêndoa em pó
  • Canela
  • Casca de limão
  • Raiz de Angelica
Edgerton Original Pink Gin



À nossa!

Parabéns para mim!

Parabéns para mim.
Há um ano a minha vida mudou. Para melhor.
Consegui o que muito ansiava. Senti uma alegria tão grande que quase me rebentava o peito.

Ultimamente o motivo de tanta alegria também tem sido motivo de tristeza.
Hoje recordo a alegria que senti para me dar forças e procurar uma ponta de alegria.
Parabéns para mim!

10 de junho de 2014

Cu de sono

Para quem se escandalizou quando referi neste post que sou um cu de sono, fiquem sabendo que a expressão existe. Está presente na linguagem popular e até em vários provérbios.

Significa: "Alguém que anda sempre com sono"

Ora fiquem aqui com alguns dos provérbios:

"Cu de sono é cu sem dono."
"Cu de sono não tem dono."

9 de junho de 2014

Trabalho, tem de ser!


Enquanto uns estão de ponte, mini-férias e afins...
Outros têm de trabalhar!
Lá terá de ser, enfrentar esta 2ª feira, que também é 6ª feira!

Edgerton Pink Gin

Edgerton Original Pink Gin
É um novo gin, rosa, mais feminino.
Eu estive no seu lançamento, no Hotel Fonte Cruz, um dos mais trendys da cidade. Já tinha dito que Lisboa está cada vez mais na moda, cada vez mais no topo do que de melhor se faz pelo mundo.
Agora entramos na época dos sunset parties. Festas de final de tarde, as ideais para quem tem de trabalhar no outro dia ou é um cu de sono como eu!

A festa foi gira, para além de provar o Edgerton Original Pink Gin, servido com bagas de romã e uma água tónica Peter Spanton, assistimos ao lançamento da nova música da DJ Lyla "Keep Moving", interpretada pela fabulosa Ester Campos.

DJ Lyla, Paulo Futre e Ester Campos
Edgerton Original Pink Gin

7 de junho de 2014

Desembarque na Normandia: Hoje e há 70 anos

Dia D, desembarque na Normandia
Normandia, França. Local escolhido elas tropas aliadas para entrar em França e libertá-la do invasor nazi.

Um dia que marcou o início do fim da Segunda Grande Guerra Mundial. Uma das mais sangrentas guerras de sempre que levou ao extermínio de milhões de judeus, entre outros povos minoritários como ciganos, entre outros.

Vale a pena pensar como estaria hoje a Europa sem este Dia D - O dia do Desembarque na Normandia.
Faz agora 70 anos.
É bom recordar o passado e celebrar o presente!
Obrigada Aliados pela paz que trouxeram à Europa e ao Mundo!

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014

Dia D, desembarque na Normandia

Normandia 2014
Image credits: The Telegragh
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...